sexta-feira, 14 de maio de 2010

Frida, 1979: O ABBA pode continuar sem mim

Muitas coisas aconteceram desde que o ABBA venceu o Eurovision Song Contest em 1974. Durante os últimos cinco anos, o grupo sueco conseguiu lançar sucessos continuamente, que sempre conseguiram colocações entre as dez melhores e, na maioria dos casos, o primeiro lugar em várias paradas também. Apenas recentemente o Japão também foi conquistado e o interesse pelo ABBA só não podia esperar para percorrer todos os Estados Unidos. Mas justamente no momento em que uma turnê de concertos através da "terra de possibilidades ilimitadas" estava sendo planejada, dois membros do grupo escandinavo sozinhos colocaram um fim nisso. Björn Ulvaeus e Agnetha Fältskog decidiram colocar um fim no seu casamento. Uma decisão que não prejudica a imagem do ABBA à primeira vista. Mas as damas e os cavalheiros suecos ficaram sem sua tropa. O divórcio não melhorou a compreensão mútua e a colaboração, ao contrário, piorou. Ultimamente, o quarteto só se reúne para reuniões de negócios. Fora isso, Benny Andersson tem as suas mãos cheias no seu próprio estúdio do ABBA da sua descoberta solo mais recente: Anni-Frid Lyngstad...

O escritório do ABBA realmente parece ser muito impressionante. Em tudo é o ouro que reluz, se apenas na seqüência de discos de ouro que estão pendurados nas paredes do escritório. A única pessoa presente além de mim é a própria Anni-Frid. Sem outros membros da banda, sem o empresário Stig Anderson, sem guarda-costas. Portanto, nada impedindo que Anni-Frid desse capítulo e versículo sobre todos os problemas em torno do ABBA de uma maneira honesta.

Na verdade, ela não mediu palavras nas questões: "É verdade que estou ocupada explorando os meus talentos próprios. Ou melhor: experimentando-os. Benny e eu estamos fazendo isso em forma de vários testes de gravações. Neste ponto ainda não decidimos ainda sobre o caminho musical. Não que seja fácil também. Obviamente, muitas pessoas irão me reconhecer como "a cantora morena do ABBA". O tipo de música que eu quero cantar terá que ser completamente diferente da música do ABBA. Mais madura também."

Enquanto ela posa para o nosso fotógrafo por um momento, diz que a idéia de uma carreira solo existe há um bom tempo. "Nós esperamos este tempo todo porque simplesmente não havia tempo para isso. Não, isso não significa que vou parar de trabalhar com o ABBA. Mas eu tenho que pensar no meu próprio futuro também. O que todos nós quatro alcançamos com o ABBA em todos esses anos beira ao inacreditável. Ainda assim é inevitável que esta enorme popularidade diminua um dia. Já era. Eu quero criar uma rede de segurança para problemas assim. Björn e Agnetha têm que continuar a trabalhar com o ABBA, mas isso não é muito divertido, é claro. Por esse motivo eles não têm qualquer idéia sobre o que querem fazer exatamente após a era ABBA. Eu quero pensar à frente. Estar pronta para o meu próprio empreendimento. No caso será tudo no próximo ano, terei um novo trabalho imediatamente."

O fotógrafo nos interrompe e Anni-Frid posa como uma modelo competente. Ela diz que "não poderia estar mais feliz porque as pessoas finalmente estão interessadas apenas em mim. Eu sempre toquei o segundo violino. De acordo com todos, Agnetha sempre foi um pouco melhor vocalmente. Ela provou que o ABBA pode continuar sem mim. Isso é bom, mas virá o tempo em que eu vou provar algo também..."

Fonte: Abbaarticles - Publicado originalmente em agosto de 1979 na revista Muziek Express

4 comments:

Rodolfo Gomes disse...

Fico um tanto triste ao ler este post. Eu vejo as vozes da Frida e da Agnetha como complementos, uma das outras.
É claro que Agnetha teve sempre um destaque dentro da banda, mas não esperava que Frida se sentisse tão mal por não ter tanto reconhecimento.

Infelizmente Frida previu o que estava para acontecer: o fim do ABBA.

Lacerda disse...

Sim Rodolfo, realmente neste post podemos ver do iceberg algo mais do que sua ponta emersa. Isto apenas mostra que nem mesmo no mundo colorido e alegre do ABBA as coisas são diferentes da vida em si.
Apesar disso, podemos compreender que em 1979, após uma exaustiva turnê pela Europa/América, o desgaste interpessoal dentro da banda seria uma consequencia natural, mais ainda pelo então relativo recente divórcio Björn/Agnetha e pelos primeiros sinais de cansaço da relação Benny/Frida.
Não tomemos pois declarações como essa da Frida como parâmetro de análise da relação dentro do grupo, foi um momento particular e em quase todas as outras ocasiões elas sempre deixaram claro que ambas tinham igual peso dentro da estrutura do ABBA, algo que o tempo só comprovou.
E quanto à previsão do fim do ABBA, diversas entrevistas (muitas das quais ainda não pude traduzir, mas que tenho aqui às dezenas) mostram que todos eles já deixavam nas entrelinhas o inevitável fim, que concretizou-se no início de 1983. Uma pena, mas ABBA it's over...

Guilherme disse...

É muito triste que ela pense assim. O ABBA sem ela não é ABBA...

Dirceu disse...

Verdade, mas para quem é fã, elas estão no mesmo patamar.
Obs: Frida está lindíssima nesta foto.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...