segunda-feira, 27 de julho de 2015

Coletâneas brasileiras do ABBA


Coletâneas sempre estiveram nos tópicos mais discutidos entre os fãs de um grupo musical ou cantor(a). Para quem apenas aprecia uma banda, a coletânea é mais do que suficiente. Para os fãs e colecionadores, ela pode representar um pouco mais do que apenas um apanhado de hits.


A começar pelo questionamento do que seja um hit (sucesso): para fãs apaixonados, o conceito de hit é bem diferente do que seria para alguém que simplesmente gosta de determinado artista, mas não é necessariamente fã nem colecionador.

No caso do ABBA, o grupo explodiu em 1974, com a vitória de Waterloo no Eurovision Song Contest. No Brasil, o nome do ABBA só começou a aparecer nas paradas de sucesso e nas lojas de discos a partir de 1976, quando Fernando estourou mundialmente e ganhou até versão em português da cantora paraguaia Perla.

À direita, Fernando do ABBA e, à esquerda, Fernando da Perla, compactos de 1976
Tanto que o primeiro álbum do ABBA lançado no Brasil foi uma coletânea "disfarçada". Como os dois primeiros - Ring Ring (1973) e Waterloo (1974) - não haviam sido lançados aqui, a RCA reuniu os hits desses dois LPs e juntou com outros hits pescados do terceiro LP, ABBA (1975), usando a arte gráfica do último disco. E assim surgiu o álbum ABBA no Brasil, em 1976, bem no auge do sucesso de Fernando (faixa que também foi incluída na edição brasilera, mas que não faz parte do álbum original). 


A lista de canções era a mesma da coletânea Greatest Hits (1976), lançada no resto do mundo, com exceção de He Is Your Brother, que não entrou no LP brasileiro. [Para mais detalhes sobre a edição brasileira do álbum ABBA (1975), leia aqui o post que fiz há alguns anos].



A primeira coletânea "de verdade" do ABBA no Brasil foi Disco de Ouro, lançada pela RCA em 1978. A faixa Watch Out, que fazia parte do álbum Waterloo, mas que não havia sido lançada em nenhum LP do ABBA no Brasil, foi incluída no Disco de Ouro, apesar de não ter sido um hit. A canção tinha aparecido pela primeira vez aqui em 1977, na coletânea (também da RCA) Discoteca Tropicana, um apanhado de músicas que faziam sucesso nas pistas de dança brasileiras da época. Talvez uma aposta da RCA, quando o ABBA ainda buscava uma identidade entre o rock e pop, pouco antes de se firmar como grupo genuinamente pop.


Em 1980, a RCA lançou no Brasil o LP Greatest Hits, que na verdade era uma versão adaptada de Greatest Hits Vol. 2 (1979), com lista de músicas diferente do resto do mundo, incluindo algumas e suprimindo outras. (Detalhes também no post mencionado acima.) 

A Som Livre se antecipou em 1981 e lançou a coletânea ABBA 10 Anos, pegando carona no enorme sucesso que o ABBA fazia no Brasil (àquela altura, o grupo já era bem popular no mundo todo). No entanto, para que as 14 faixas coubessem no LP, algumas foram editadas. (Alguns fãs abominam, outros consideram uma "exclusividade".)



Em 1983, novamente a Som Livre lançou outra coletânea, Golden Hits, desta vez com uma seleção de faixas bem menos famosas que as da coletânea anterior, que ainda era muito recente. Músicas do começo da carreira do ABBA, como Ring Ring, Dance (While The Music Still Goes On) e So Long foram colocadas junto com as últimas canções do grupo, como Under Attack e The Day Before You Came. A mistura ficou um pouco heterogênea demais, mas ao menos foi a primeira vez que Rock Me fez parte de um LP do ABBA no Brasil (antes ela só havia aparecido aqui em um compacto duplo de 1975).



Ainda em 1983, a RCA lançou sua última coletânea brasileira do ABBA: Super Três - Disco de Ouro. O nome fazia parte da coleção Super Três: Talento - Produto - Qualidade, que incluía coletâneas de artistas brasileiros e seleções de hits internacionais. O mais estranho é que naquele mesmo ano a RCA já havia lançado a edição brasileira da coletânea dupla The Singles - The First Ten Years, que trazia todos os grandes hits do ABBA. Ou seja: qual o propósito de lançar o ABBA na Super Três também? De qualquer forma, este LP é hoje a coletânea brasileira do ABBA mais rara, bem difícil de ser encontrada, o que faz dela um item de colecionador.



Com isso, houve um espaço de cinco anos até que outra coletânea brasileira do grupo fosse lançada: ABBA - Os Grandes Sucessos (1988), da Som Livre. Foi a última coletânea brasileira do ABBA, lançada numa época em que o grupo já era considerado 'coisa do passado'. 



Ainda levaria mais cinco anos até que o Brasil visse outra coletânea do grupo, a mundialmente famosa ABBA Gold, que a Globo/Polydor lançou no mercado brasileiro em 1993. O resto é história: o ABBA voltou às paradas de sucesso do mundo inteiro e passou a ser reverenciado por uma nova geração de fãs e artistas. E teve início uma onda de coletâneas "caça-níqueis", que serão o assunto do próximo post.

5 comments:

+Marcus disse...

Aqui em casa tem a última, Os Grandes Sucessos. Eu os descobri através dela. A versão de Chiquitita é editada, tomei um susto quando vi o clipe e a música apareceu com uma estrofe amais.

Marcelo Bahia disse...

A coletanea Abba 10 anos foi que desencadeou minha paixão pelo Abba. Tenho até hoje!

JOSE RIBAMAR MELLONIO SILVA MELLONIO disse...

I love ABBA

JOSE RIBAMAR MELLONIO SILVA MELLONIO disse...

Parabéns ABBA vocês foram, e sempre serão grande grupo musical.

Anônimo disse...

ABBA, só quem viveu o momento sabe o que foi, o que é

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...