domingo, 20 de fevereiro de 2011

A História do ABBA - Parte 5


Eles tiveram uma boa noite de sono após todas as tensões e após meses de preparação. Na manhã seguinte à sua vitória o ABBA foi despertado por funcionários da gravadora britânica CBS. Um café da manhã com champanhe havia sido organizado para o grupo. E não somente naquela manhã ensolarada. Uma sucessão de recepções com champanhe estava em sua programação. Stig Anderson não ficava parado: o mundo queria ver o ABBA, aliás, o mundo queria ter o ABBA. Stig Anderson já tinha preparado os contratos, com a sua programação à mão. Faltavam apenas as assinaturas. Mas isso não iria demorar muito, é claro. Stig assinava um contrato após outro.

Anni-Frid diz: "Eu nunca vi tanto champanhe em toda a minha vida. As bolhas alegres saltavam para o meu nariz como se quisessem dizer: parabéns, estamos vendo sucesso e prosperidade no horizonte. E era assim que eu me sentia também. Eu senti: minha vida agora realmente vai decolar".

Junto com o champanhe seguiu-se uma série de sessões de fotos. Durante aqueles dias o ABBA foi acompanhado por pessoas da imprensa, com sua comitiva. O ABBA foi entrevistado centenas de vezes. E numerosas sessões de fotos foram feitas, sobre as quais Benny agora diz: "Isso foi muito louco. Nós tínhamos que ficar em todas as posições e continuar a sorrir. Meu rosto não podia fazer outra coisa a não ser produzir aquele sorriso que costumo fazer nas fotos. Isso realmente deixou-me muito enjoado, mas tudo bem, faz parte deste negócio e realmente fiquei muito feliz com toda essa atenção. Nós tínhamos trabalhado muito duro para isso."

E somente agora Björn faz uma declaração surpreendente: "Na verdade, temos que ser muito sinceros e dizer que não esperávamos vencer e certamente não esperávamos que todas aquelas portas se abrissem para nós no mundo por causa de Brighton. Durante o concurso achei que Mouth & McNeal venceria. Eu acreditava que os juízes seriam mais inclinados pela Holanda do que pela Suécia. Além disso, a dupla tinha uma música fantástica: "I See a Star". Eu achei que eles eram os melhores!" e Björn confessa: "Aconteceu outro momento maravilhoso quando Mouth & McNeal vieram até nós e nos parabenizaram espontaneamente. Eles achavam que a melhor música e o melhor grupo haviam vencido. Foi muito generoso por parte dessas pessoas."

Agnetha lembra: "Eu vivenciei todo o evento em Brighton como se fosse um sonho. As tensões eram muito fortes. A lembrança de que centenas de milhões de pessoas estavam me vendo paralisou-me e quase tirou o meu fôlego. Você não pensa direito em um momento como esse. Então você escuta que venceu e tudo se transforma em um frenesi. Todo mundo te beija. Todo mundo quer falar com você, fotógrafos. O que teria acontecido se não tivéssemos vencido. E lá está você com uma taça de champanhe na mão. Você se sente cada vez mais cansado mas continua sorrindo. Quando tudo acabou e nós voltamos ao hotel acordei daquele sonho e lembro exatamente o que eu disse ao Björn: 'Me belisque. Tudo isso aconteceu de verdade, eles não vão tomar o troféu de nós?' e Björn pôs o braço sobre os meus ombros, beijou-me no pescoço, acariciou-me e disse: "Isso foi uma loucura, mas aconteceu! E... prepare-se, por enquanto será desse jeito. Nós temos que manter nossos pés bem firmes no chão e não nos deixarmos levar!" Palavras sensatas do "computador" do grupo.

Björn marcou uma reunião com Stig, Benny, Anni-Frid, Agnetha e algumas pessoas da Polar Music. No seu quarto de hotel eles discutiram o futuro, a série de contratos que Stig tinha assinado, suas férias. "Desde o início eu quis organizar as coisas corretamente", diz Björn: "não podíamos permitir que as nossas vidas fossem invadidas e definitivamente não diríamos sim a tudo. Nós tinhamos de durar um pouco mais do que aqueles poucos meses." Uma lúcida - e sensata - declaração, que foi apresentada na suíte do Napoleão no hotel. Stig Anderson aconselhou o quarteto a dormir um pouco porque eles teriam uma longa caminhada à tarde. Mais tarde, eles se reuniam em um dos melhores restaurantes de Brighton. Naquela noite (domingo), Stig tinha organizado um jantar exclusivo para os membros da equipe Polar, que haviam trabalhado tão duro para este sucesso. O champanhe fluiu novamente e um enorme prato de peixe foi servido. Enquanto isso Stig leu telegramas, uns 200. Muitos vindos da Suécia. Na segunda-feira após o concurso o grupo foi levado a Londres em uma limusine e o feliz ABBA afundou nos assentos do carro, quando o rádio do carro tocou "Waterloo". Era como se os quatro estivesse ouvindo a canção pela primeira vez. No hotel, as rolhas de champanhe espocaram novamente, as câmeras da BBC entraram na suíte e uma entrevista ao vivo para o Top of the Pops foi filmada. Björn e Benny falaram em como eles estavam felizes pelo concurso ter acontecido na Inglaterra, que toda a organização foi impecável, que as pessoas foram muito amáveis. Foi um tributo ao Império Britânico, sucedido por "Waterloo".

Os telefones não paravam de tocar e os telexes continuavam chacoalhando. Propostas, propostas e mais propostas para o ABBA se apresentar, aparecer em programas de entrevistas, fazer comerciais e atuar em filmes. Então Stig disse a todos: "Que bom que vocês estão nos convidando e o mais maravilhoso é a consideração de vocês conosco, mas nós estamos lotados..." E era verdade: o ABBA estava reservado totalmente para o ano inteiro.

Benny, completamente esgotado, retirou-se em seu quarto, ligou a TV e assistiu a um filme de terror. Agora ele diz: "Eu estava com uma enorme quantidade de champanhe e estava muito desgastado e é engraçado que um filme de terror possa ser relaxante." Outra nuvem escura apareceu no céu: Agnetha estava reclamando de dor na garganta. "Minhas amígdalas estão me preocupando", disse ela, "sempre que fico muito cansada elas começam a me incomodar." O médico foi chamado, injeções e... descanso. Isso ajudou. Vocês nem sequer se atrevam a imaginar que Agnetha pudesse ter sido incomodada por sua garganta antes de sua apresentação. Esse descanso lhe faria bem. Agnetha e Björn saíram para compras e o bebedor de cerveja Benny não poderia estar mais feliz já que ele estava em um pub. Aqueles dias em Londres foram muito agradáveis para o quarteto, roupas foram compradas, eles saíram, em suma: o muito desejado descanso após o seu trabalho duro. Em relação a isso havia muita coisa acontecendo em Londres nessa época. Londres era o centro da Europa, onde tudo estava acontecendo. O ABBA aproveitou a ocasião. O ABBA viu tudo.

Benny: "Para mim esses dias em Londres foram uma grande festa. Eu gosto de tomar uma cerveja e ali eu podia ir para os bares. Eu acho as pessoas que frequentam esses bares maravilhosas. Elas são descontraídas e sempre estão de bom humor. Beber cerveja é um acontecimento muito mais social na Inglaterra do que na Suécia. Björn não gosta muito, ele acha que tomar um drink na sexta ou no sábado é suficiente. Ele ficou realmente surpreendido pelo fato de que todo mundo toma uma cerveja no seu bar favorito todo dia."

No último dia da sua estada em Londres havia outra sessão de fotos agendada no Hyde Park. As garotas compraram vestidos especiais para esta ocasião e Benny comprou jaqueta de napa legítima. Depois disso, o grupo todo foi à Embaixada da Suécia, onde o embaixador - um homem chamado Ole Jodahl - falou as seguintes palavras para eles: "Este é o meu melhor dia na Inglaterra como embaixador. Nunca antes eu tive assistentes tão fantásticos, vocês quatro são embaixadores da Boa Vontade da Suécia, não somente agora na Inglaterra como em todo o mundo. A Suécia deve estar muito orgulhosa de vocês. Podem ter certeza de que a Suécia ficou orgulhosa." Depois disso as câmeras da BBC entraram na sala novamente, seguida por uma entrevista na televisão, desta vez por David Hamilton.

Agnetha sentiu náuseas e teve febre. Anni-Frid mal recuperou o sono perdido das noites anteriores. Era como se eles estivesse começando a sofrer dos nervos agora. Mas Agnetha não quis ficar no hotel e depois da visita à embaixada e depois da entrevista à BBC ela juntou-se aos outros para uma sessão de fotos na estação de Waterloo, desta vez para o Daily Express: os fotógrafos forneceram-lhes roupas maravilhosas e eles receberam muita atenção. Agnetha manteve-se sorridente, apesar da penicilina e dos antibióticos que foram injetados nela. Björn estava muito atencioso e manteve as pessoas longe dela tanto quanto possível, para dar-lhe um pouco de paz e parar com todo aquele furor.

De volta ao hotel Park Lane Stig reuniu a imprensa pop internacional em torno dele e do ABBA pela última vez, uma entrevista coletiva de despedida. Benny disse: "Isso aqui é uma grande festa de champanhe. Eu mesmo tenho meus cereais com champanhe, mas eu quero agradecer a todos vocês." Björn levantou-se e falou: "Eu acho maravilhoso estar aqui com vocês e simplesmente conversar sobre o show business e não sobre política. Na Suécia eles sempre fazem perguntas sobre nossas preferências políticas e nós não sabemos absolutamente nada sobre política. Eu acho que é ainda mais divertido voltar para a Suécia agora, onde tivemos alguns momentos difíceis. No nosso país eles não nos veem como grandes conquistadores ou como um grupo especial. Após este enorme sucesso eles terão que se render e parar de nos comparar com Sweet e Mud, nós somos diferentes."

Nessa entrevista Agnetha confidenciou a um repórter e lhe disse: "Pouco antes da final eu quis deixar o meu cabelo curto porque dá muito trabalho, mas Stig não deixou. Ele disse: 'Se perdermos, então você poderá cortá-lo." Mas nós vencemos e já que as nossas fotos haviam sido espalhadas no mundo inteiro eu não poderia encurtar o meu cabelo de repente. Isso tornou-se parte da imagem do ABBA. Em retrospecto eu acho uma pena que ele tenha que continuar longo, dá muito trabalho, mas por outro lado estou muito feliz com isso, especialmente na Itália e na Espanha, onde eles adoram garotas loiras com cabelos longos."

O conhecido compositor Harold Spiro diz: "Com o ABBA uma nova era iniciou-se no concurso. A partir de agora mais países enviarão grupos para o Eurovision Song Contest". Um entusiasmado Stig Anderson: "Depois de tudo que vivi aqui, acredito que estamos começando a nos libertar da Suécia, temos que chegar lá, Austrália, América, Japão. Como é maravilhoso o mundo ser grande quando o seu próprio país é bastante pequeno em sua superfície."

Rosemary Horide na revista Disco Magazine: "Após o Song Contest em 6 de abril de 1974 o Eurovision Song Contest morreu, felizmente. Longe estão os dias em que garotou e garotas mais ou menos lindos simplesmente cantavam uma música. Agora esperamos mais do que isso: uma boa música, um bom show, um bom equipamento. O ABBA introduziu uma nova fórmula e nós só podemos estar felizes por isso."

O participante Paulo de Carvalho, de Portugal, estava irritado: "Todos nós tivemos de cantar ao vivo, mas o ABBA trouxe a música de fundo. Isso não é justo, eu protesto." Um porta voz da BBC respondeu: "É permitido usar músicas de fundo. Protesto negado." Uma Olivia Newton-John um pouco amarga, que fracassou com "Long Live Love", refletiu: "Waterloo" não é a canção que eu teria escolhido para mim, mas acho que ela é bastante agradável. Eu absolutamente não acredito na minha própria música." Após a final Stig recebeu um telefonema da Suécia. Um repórter perguntou: "Você sabia que quarenta mil pessoas morreram em Waterloo?" Stikkan, perplexo, respondeu: "Você não percebe que só usamos "Waterloo" como símbolo, em vez da palavra 'derrota'?"

Quando o pessoal da Polar voltou para a Suécia, Agnetha era a mais feliz de todos eles: "Eu mal posso esperar para voltar para Linda. É claro que é divertido viajar, mas é um grande trabalho para mim deixar Linda em casa. Talvez seja por isso que eu me senti muito mal aqui." Via Hamburgo, onde um programa de televisão da Páscoa foi rapidamente filmado, o ABBA chegou ao aeroporto de Arlanda em Estocolmo. A chegada deles foi mantida em segredo. O ABBA voltou para o país pela porta dos fundos porque a Alfândega respeitou o seu pedido: voltar para casa o mais rápido possível!

Agnetha e Björn foram levados para casa primeiro, em Vallentuna. Benny fala sobre a sua chegada em casa: "Eu me afundei em uma cadeira preguiçosa. Anni-Frid abriu uma garrafa de champanhne - como se ainda não tivéssemos tomado o suficiente - trouxe um tabuleiro de xadrez e jogamos por algumas horas. Agora estávamos em casa, realmente em casa. Longe de todas aquelas pessoas, paz e sossego."

Na manhã seguinte Anni-Frid, Benny, Agnetha, Björn e Linda saíram de Estocolmo juntamente com Stig e sua família para uma ilha nos arredores de Estocolmo. Lá eles celebraram a Páscoa juntos. Fizeram caminhadas juntos, saíram para pescar. "Aqueles dias foram ótimos", diz Agnetha agora.

No verão de 1974 uma tempestade de protestos varreu a Suécia. O ABBA havia cancelado todos os seus trinta shows no país. Stikkan tinha a desculpa: "O grupo tem muitos contratos para cumprir no mundo. Os garotos têm que compor novas músicas para o seu próprio álbum e eles têm que fazer os preparativos para as novas gravações de outros artistas da Polar." Os organizadores dos shows ficaram furiosos, ameaçando-os com ações judiciais e exigindo compensações financeiras. Os jornais foram chamados. Anderson defendeu a sua estratégia assim: "O que você faria se estivesse em nosso lugar? Temos que ir a Paris, Londres e assim por diante. Será que temos que cancelar isso porque temos que nos apresentar aqui na frente de algumas centenas de pessoas. Você faria isso?" O distúrbio cresceu de tal maneira que eles recorreram à televisão, quando Björn - em um programa altamente popular - defendeu o ABBA e a decisão que eles havia tomado. Ele falou longamente sobre os preparativos que os levaram ao sucesso em Brighton. Sobre as suas experiências na Inglaterra ele concluiu: "É claro que nós adoraríamos realizar esses trinta shows, mas isso significa que teríamos que enfrentar mais um mês cansativo - após a desgastante experiência do Eurovision - antes de podermos sair em uma turnê mundial novamente. Eu peço compreensão a todos os suecos por esta decisão conjunta que tomamos. Nós queremos passar um mês trabalhando no nosso novo álbum e em outras gravações da Polar".

É evidente que a palavra "turnê mundial" foi escolhida com uma certa dramaticidade, porque o ABBA iria para países como Inglaterra, França, Alemanha e Bélgica. Mas eles tinham alcançado o efeito desejado. O ABBA viajou pela Europa e somente um ano mais tarde é que eles fizeram uma turnê de 15 dias pela Suécia, que foi concluída com um gigante concerto no Tivoli em Estocolmo. Mas mesmo nesta turnê nem tudo correu conforme o planejado. Agnetha teve problemas de garganta de novo, shows foram cancelados e/ou adiadas. E é claro que os jornais não se contiveram com as suas críticas. A imprensa na Suécia sempre foi um pouco reservada com o ABBA. Por exemplo eles se opuseram ao fato de que Stig Anderson estipulou uma parcela pelo volume de negócios em todos esses shows. Stig respondeu às críticas: "Parece-me razoável que o ABBA seja pago com um montante mais elevado quando muitas pessoas aparecem para vê-los. No final o ABBA era simplesmente um grande grupo internacional." E a imprensa ficou em silêncio novamente por um tempo.

E então foi Björn que teve uma discussão com um repórter. Björn respondeu à sua pergunta assim: "Vocês sempre nos perguntam sobre como ganhar dinheiro e as nossas preferências políticas. Nós somos populares, por isso estamos ganhando muito dinheiro, assim como também pagamos muitos impostos. Nós não nos importamos com nada disso. Eu não quero falar sobre política. O que é o socialismo, o que é democracia? Eu não sei. Eu só quero compor boas canções para tantas pessoas quanto possível." E o repórter silenciou.

Benny: "Eu realmente não entendo toda essa lamentação destes repórteres. Ainda somos os mesmos rapazes, nós preferimos as coisas simples da vida. É claro que agora temos um maior orçamento financeiro, mas eu ainda como um bife. Eu ainda gosto dos mesmos filmes. Eu gosto de passar o tempo em casa, com um copo de cerveja. Tudo isso não muda porque de repente você se tornou popular." E Björn concorda com estas palavras.

Após o grande sucesso em Brighton com "Waterloo" Stig recomendou o lançamento de "Ring Ring" na Inglaterra como continuação. Esta era uma antiga para o ABBA, mas para a Inglaterra era algo novo. E o chefe estava certo mais uma vez. Orgulhoso, ele disse no Top of the Pops: "Agora esta é a canção que poderia ter vencido o Eurovision do ano passado." Apesar de todos esses sucessos, notícias negativas continuaram aparecendo na mídia internacional, como: "ABBA é banda de um só sucesso" ou "ABBA é um grupo caricato".

Stig Anderson: "Quando você realmente se torna bem sucedida histórias como esta inevitavelmente irão aparecer nos jornais. Por um lado é um bom sinal, isso prova que você está seguindo o caminho certo. Por outro lado, isso tende a estragar a diversão desses sucessos para os quais você trabalhou tão duro. Eu sempre acreditei no ABBA. Mesmo sem o Eurovision Song Contest eles teriam se tornado muito grandes. Brighton foi um empurrão extra, um impulso para uma maior rapidez de reconhecimento. Não há nada errado nisso."

E Anderson obviamente está certo. O Eurovision Song Contest é acompanhado por centenas de milhões de pessoas, mas países como os Estados Unidos, Japão e Austrália nunca ouviram falar deste concurso e nestes países o ABBA também tem uma força importante.

Fonte: ABBA Articles (texto) e ABBA Annual (fotos)

Fotos da publicação original:


A História do ABBA - Parte 1
A História do ABBA - Parte 2
A História do ABBA - Parte 3

A História do ABBA - Parte 4

1 comments:

Lucas Stefano disse...

Este POST É SIMPLESMENTE UMA MARAVILHA !!!
Minha mãe é uma ~fã doente do grupo ABBA , e graças a ela eu também me tornei um fã desse grupo tão legal Suas músicas são antigas bem verdade, mas mesmo assim elas me mexem . A minha preferida deles é "The Winner Take it All" . É lindíssima.
Visitem o meu blog. Hoje eu publiquei um post especial sobre o ABBA :

http://lucasmqr2.blogspot.com/2011/02/abrindo-um-espaco-grupo-abba.html

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...